sábado, 14 de novembro de 2009

Amar e não ser correspondido



(Autor: André Vilela)

Amar e não ser correspondido.
Amor bandido.
Prendeu-me a ela.
Esse amor ruge feito uma fera.
Querendo que seja notado.
Sedento por ser amado.
Esse amor chora por dentro.
E de tristeza vai se corroendo
E vai se apagando.
De vagar se esfriando.
Ate ficar gelado.
E me pergunto.
Porque nunca que amo sou amado??
Procuro as melhores maneiras.
Para entender.
Mas no entanto.
Minha opção é sofrer.
Olho no rosto.
Da garota que me despreza
Que comigo não quer nem conversa
Meus olhos embotados.
Ficam pasmados.
De como ela é linda.
Quero que sinta.
O mesmo que sinto.
Por ti.
Mas como
Se pra mim você nem sorri.
Esperança
Um dia cansa.