sábado, 19 de maio de 2012

Cai tua vida.



(André Vilela)


O que bate no teu peito não é inteligível
Místicos e insensatos sortilégios
Devaneios e sacrilégios
Mostram-te muito mais do que insensível

Tua vida cai em cada escolha errada
Quiçá um dia você tire dos olhos estas escamas
E vedes quem te ama
Tantas que quedas te fazem difamada

Tua vida cai em cada sofrimento
Cada incerteza é uma ferida
Cada lagrima que cai, cai ainda mais tua vida
Isto te faz vazia de sentimentos