quinta-feira, 10 de junho de 2010

Poema - Amor Proibido


(André Vilela)


Ai de mim querer um amor proibido,

Um amor que pela vida pode ser banido,

Escondido e por si só corrompido.

Não diria amor,

Mas um sentimento de abstinência,

Por sua atenção e influência.

É algo que pode ser formoso,

E o toque de lábios fogoso.

Pode ser uma aventura,

Quanto a pior desventura.

Poder ser de juras e loucuras,

Pode ser a intolerante tortura.

Pode ser o abraço mais gostoso,

Ou o tapa na cara mais doloroso.

Pode ser o amor apoiado,


Ou nos olhos dos outros escandalizado.

Pode ser o mais calmo e sensível,

Ou enigmático irreversível.

Pode ser o mais quente,

Pode o ser fatalmente pungente.

O amor proibido,

É o grito contido.

É sem alforria,

Que se afaga com toda euforia.

5 comentários:

  1. Muitoo lindo e criativo suas poesias to adorando *---*

    ResponderExcluir
  2. Um jogo de palavras incrível,um belo poema,quando li,foi como se não apenas estivesse lendo,mas também sentindo...

    ResponderExcluir
  3. Lindo nossa seus poemas são contagiantes;parabéns beijjoss

    ResponderExcluir