sexta-feira, 11 de junho de 2010

Apenas um botão.

(André Vilela)

Onde está a percepção de desconfiança do nosso povo

Que a política tem-se feito em pele de cordeiro

Mas é lobo

E o trafico

Que tem feito rapto

Dos jovens que procuram

Diversão ou consolo

E com o rolo da erva

Sopram tudo ao vento

O lamento da mãe

Que perdeu o filho

Para o crime

Ele queria ser só

Um cara sublime



Refrão:

É apenas um botão

Pra detonar essa nação

Sem perdão

Nem que seja seu próprio suicídio

O unânime genocídio



Guerras urbanas

Pessoas insanas

A natureza devastada

Que continua levando patada

E se vinga com tufão enxurrada

Mas o homem nem importa

Não percebe que devagar ele se enforca

Cabeças com idéias mirabolantes

Que matam e atacam

O resto dos dias nessa Terra

Está a beira do precipício

Nada mais é como no inicio



Refrão:

É apenas um botão

Pra detonar essa nação

Sem perdão

Nem que seja seu próprio suicídio

O unânime genocídio

Um comentário:

  1. aah legaal seguindo aqui
    segue o meeu carpediemcomtaty.blospot.com

    beeijinhos

    ResponderExcluir