sábado, 28 de julho de 2012

Tão incerta.


(André Vilela)
Minha pequena, teu pecado é a incerteza
Hoje tu amas, amanha não mais
Por isto padeço na tristeza
De tuas mentiras reais
Não sei como não te amarga o peito
Ao fazer a vida uma cabra cega
Ao compor teu pior defeito
E reger essa tola entrega

Minha pequena, teu pecado é a incerteza
Meu pecado é remar contra a maré
Teu nome é correnteza
Meu nome é fé

Nenhum comentário:

Postar um comentário